Publicidade

publicidade

2 de junho de 2009

Final Fantasy Mystic Quest

Fabricante: Square
Gênero: RPG
Ano de lançamento: 1992

Final Fantasy Mystic Quest é um jogo de RPG que foi lançado primeiramente nos Estados Unidos. Uma característica marcante desse Final Fantasy, é que ele é bem mais fácil que os outros da série. É mais fácil porque esse jogo foi feito tendo em foco o público norte-americano, que na época não estava muito familiarizado com os jogos de RPG.

Pra você ter ideia, não existem as famosas "batalhas aleatórias", ou seja, você pode andar livremente por uma dungeon. Na verdade, existem monstros nas dungeons, mas eles ficam ali parados. Para batalhar com eles, você deve ir até eles e apertar o botão de ação, então você entrará numa batalha. É claro que em muitas situações estes monstros estão bloqueando as passagens, então não tem jeito de fugir da luta, hehe! Além disso, não existem "save points", você pode salvar em qualquer lugar do jogo. Você também não precisa se preocupar com equipamentos, nem com armas. Você irá pegá-los ao longo do jogo, e eles "se equipam automaticamente". Outra característica bem diferente das maiorias do RPG, é a sua movimentação no mapa principal. Você não tem liberdade para andar por onde quiser, pois para ir de uma cidade a outra, basta apertar para o lado, que o personagem "viaja" sozinho. É como em Super Mario World, quando você quer "ir para a próxima fase".


Mas tem uma inovação que ficou muito legal. É que você pode usar suas armas no meio das dungeons, para resolver alguns puzzles ("quebra-cabeças"). Por exemplo, pode usar seu machado para cortar árvores e liberar caminho, usar sua espada para apertar alguns botões nas paredes, arremessar bombas para abrir novas passagens, e por aí vai. Ah! E também dá para pular, hehe! Falando de um jeito mais "técnico", Final Fantasy Mystic Quest, mesmo sendo um RPG, tem elementos de jogos "ação-aventura".

Sobre a história do jogo, ela é bem simples. O mundo é dividido em 4 regiões bem distintas: Foresta, Aquaria, Fireburg e Windia. E em cada região tem um cristal que mantém a "natureza" dali em equilíbrio. São eles: cristal da terra, da água, do fogo e do vento. E no meio do mundo, existe uma torre, a "Focus Tower". Nela as pessoas se encontravam para se conhecer e tudo mais, deixando as suas diferenças de lado. Até que um dia alguns monstros roubaram os cristais, trazendo caos ao mundo. Mas existe uma profecia, que diz que um herói irá em busca dos cristais, exterminará todo o mal, e assim salvará o mundo. Agora adivinha quem é esse herói? Você, é claro! :D

Prós: os elementos "ação-aventura" são o ponto forte no jogo. Também tem alguns puzzles legais pra resolver.

Contras: a falta de mais diversidade nos equipamentos e itens.

<Considerações finais: é um jogo de RPG com gráficos simples, mas que tem características bem interessantes. Vale a pena dar uma conferida, nem que seja só pra conhecer o jogo!


9 comentários:

  1. maravolhoso esse jogo eu ja zerei varias vez e digo que é um rpg muito bom

    joguem e comemntem XD

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que saudades dos tempos em que eu passava as tardes jogando esse jogo. Bateu até uma saudade agora.

    ResponderExcluir
  3. Em primeiro lugar: ótima resenha.

    Eu não conhecia esse jogo da franquia, lendo seu post me deu vontade de conferir. Esse negócio dos rpgs de ter batalhas aleatórias as vezes irrita muito, no começo é legal, pois você está conhecendo o jogo e quer ver o personagem ficar poderoso rápido, mas depois enche o saco quando você está num nível avançado e enfrentado desafios épicos e aí aparecem queles mostrinhos de 1 nível para simplesmente tomar tempo.

    Eu prefiro o sistema de batalha de Chrono Tigger e Secret of Mana I e II, mas já joguei muito FF 3, um dos mais legais da franquia.

    Bem era isso.

    Abraços e novamente muito parabéns a você e ao S. Wallace pelo blog.

    ResponderExcluir
  4. Boa análise .rene', parabens!

    ResponderExcluir
  5. Para quem é acostumado a jogar RPGs este Final Fantasy Mystic Quest é uma "quase bomba".

    Gráficos pífios, história simples e clichê, sistema de batalha extremamente repetitivo e sem estratégia nenhuma. Basta comparar o jogo com qualquer Final Fantasy do SNES... A diferença de qualidade é gritante!

    Serve apenas para pessoas pouco exigentes, ou que não tenham experiência neste tipo de game.

    Análise bacana, mas eu não indicaria tal game.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Um amigo meu tinha esse jogo. Não me impressionou muito. Não que esse jogo seja ruim, mas não é o meu estilo. Prefiro os RPGs clássicos.

    ResponderExcluir
  7. Ah, realmente Filipi, para os jogadores mais exigentes, e que já tem uma certa experiência com RPGs, Final Fantasy Mystic Quest não é uma boa indicação.

    Mesmo assim, ainda acho que essa ideia de implementar elementos ação-aventura em jogos de RPG foi muito boa, e acho uma pena ninguém ter investido nela em algum outro RPG.

    De qualquer jeito, achei interessante recomendar o jogo para que as pessoas ao menos o conhecessem, devido principalmente ao fato de ser um RPG diferente, com várias características diferentes das usuais.

    Enfim, obrigado a todos pelos comentários. Podem ter certeza que receber comentários em uma análise que eu fiz só me estimula a fazer mais análises de jogos!

    ResponderExcluir
  8. Na época em que saiu, esse joguinho até tinha o seu valor. Era como se fosse um Final Fantasy Jr.

    ResponderExcluir
  9. Gostei da experiência. Foi uma das minhas primeiras experiências com RPGs e não tenho do que reclamar. Com certeza não é um desafio dos mais difíceis mas o jogo tem lá seu charme

    ResponderExcluir

Cada comentário é responsabilidade de seu autor. O dono do blog não se responsabiliza pelos comentários. Cada comentário será analisado para ser aprovado. Não poste link para ROMS aqui, o blog SNES Classics é um blog de referências e análises. O Google está aí para isso.

Ajude o blog adicionando comentários pertinentes e relevantes.

- Super Wallace.