Publicidade

publicidade

24 de março de 2008

Ninja Gaiden Trilogy

Fabricante: Tecmo
Gênero: Ação
Ano de lançamento: 1995

Ryu está de volta. Mas não aquele famoso que faz carreira no famoso jogo de luta Street
Fighter. Este jogo é o famoso três em um. Ninja Gaiden Trilogy reúne os três jogos que foram sucesso no Nes: Ninja Gaiden, Ninja Gaiden II: The Dark Sword of Chaos e Ninja Gaiden III: The Ancient Ship of Doom.
Os desenvolvidores da Tecmo, softhouse que produziu o game, apenas compilou os jogos de 8 bits para o 16 bits sem nenhuma mudança
. A série com o ninja Ryu Hayabusa marcou época e ajudou a criar o estilo dos jogos de ação lateral. A história é aquela famosa, que rendeu até um livro: o ninja que quer a todo custo vingar a morte de seu pai. Mas, para isso, vai ter de gastar muita energia com histórias lendárias e demoníacos caras do mal. A ação é praticamente a mesma nos três games: Ryu passa por legiões de criaturas e assassinos para enfrentar um chefe ao final de cada fase.

A jogabilidade mostra sua idade na hora em que você pega o controle. Nada de esperar que Ryu dê uma meia-volta no ar para dar um golpe ou pular de um lugar ao outro. Mesmo assim, o mascarado se mostra ágil pela idade. Os gráficos, são claramente dignos de 8 bits, sem melhoras, nem chamam a atenção d
e quem já está acostumado com o Snes. Mas a animação rápida proporciona uma ação quase radical. A variedade de inimigos e a atenção com o visual continuam impressionantes. Do som, pode-se dizer que está certinho, mas não chega a empolgar quando o jogo pede uma grande expectativa. Aprovado mas não em grande estilo.

Depois de jogar você vai ficar imaginando porque o game não foi produzido especialmente para o sistema 16 bits e sem melhoras. Bem a Tecmo deve ter seus motivos. Mas por enquanto relembre ou jogue pela primeira vez caso ainda não tenha experimentado as lutas do ninja. O velhinho ainda é bom de briga.

Prós: Três aventuras em um só cartucho fazendo com que você termine um jogo e comece outro continuando a história que é interessante, uma boa dificuldade.

Contras: O jogo não trouxe nenhuma inovação nem melhorou em relação ao sistema 8 bits.

Considerações finais: A idéia da Tecmo de fazer um remake como em Mario All-star foi muito boa, mas a idéia de que como no jogo do nosso amigo bigodudo o ninja sofresse alguma melhora fica na cabeça, talvez a produtora tenha pensado em manter o jogo intacto para os jogadores saudosistas e conservadores.

Mas isso não impede que o jogo proporcione sua verdadeira intenção que é trazer ação para você, no mais não deixe de jogar esse jogo e vingar a morte do pai de nosso herói, inimigos para te impedir não vão faltar.


3 comentários:

  1. entra no msn leandro

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro Ninja Gaiden, excelente matéria! Porém gostaria de corrigir algumas coisas do post:

    Na verdade houve uma pequena melhora nos gráficos, que ganharam mais cores, e as músicas foram remixadas para aproveitar melhor o som do SNES.

    Este remake poderia ser o melhor já feito pro SNES, porém:
    - Algumas músicas foram retiradas
    - Os créditos que rolam depois do final de cada jogo foram retirados
    - a jogabilidade é inferior em relação às versões originais, pecado mortal
    - há slowdowns em certas partes dos jogos que não existem nas versões originais, atrapalhando a jogabilidade. Existe uma fase do III que fica tão lento que os controles mal respondem, é muito frustrante.

    Entre o remake e o original, prefira a última opção.

    ResponderExcluir
  3. Esse jogo é a maior decepção do Super NES. Ninja Gaiden é muito foda, mas pra jogar com gráfico de 8 bits, é melhor soprar a poeira do nintendinho.

    ResponderExcluir

Cada comentário é responsabilidade de seu autor. O dono do blog não se responsabiliza pelos comentários. Cada comentário será analisado para ser aprovado. Não poste link para ROMS aqui, o blog SNES Classics é um blog de referências e análises. O Google está aí para isso.

Ajude o blog adicionando comentários pertinentes e relevantes.

- Super Wallace.